sexta-feira, 3 de junho de 2011



O campeonato americano de soletração terminou com a vitória de uma descendente de índios americanos. Já é a quarta vitória consecutiva de uma Indian-American e a  9º em 13 anos !!!
A meninas lideram.
Veja  as plavras , até Capoeira entrou ! rsrs ("abhinaya" to "capoeira" to "cheongsam" to "opodeldoc").
Os canadenses foram bem classificados.  Também a maioria das palavras que pesquisei tinha origem francesa !

Finally, after 21 consecutive spellings without a miss, one of them finally flubbed a word. Eventually, the others were gone — having heard the telltale bell of elimination — except for 14-year-old eighth grader Sukanya Roy of South Abington Township, Pa., who took home the trophy and the more than $40,000 in cash and prizes Thursday at the 84th Scripps National Spelling Bee.
She is the fourth consecutive Indian-American to win the bee and the ninth in the last 13 years, a run that began when Nupur Lala captured the crown in 1999 and was later featured in the documentary "Spellbound."

Only one speller misfired in his first attempt in the finals: Samuel Estep of Berryville, Va., who couldn't handle "bondieuserie" and made the slow walk across the stage to receive a hug from his father.
The rounds kept getting tougher. Sriram Hathwar of Painted Post, N.Y., warmed everyone's hearts by greeting the audience with a "good evening" every time he stepped to the microphone, but he was ousted by the word "polatouche." Another Canadian, Veronica Penny, couldn't handle "rougeot" and made a ballerina-type wave as she walked away.
But then it came down to a final five that wouldn't give up. Sukanya, Laura, Dakota Jones of Las Vegas, Arvind Mahankali of New York and Joanna Ye of Carlisle, Pa., combined to spell everything — from "abhinaya" to "capoeira" to "cheongsam" to "opodeldoc" — through Rounds 11, 12, 13, 14 and into 15.
Laura Newcombe of Toronto was the runner-up. The 12-year-old was trying to become the first Canadian to win the bee, but she went out on the word "sorites," her look of concentration turning suddenly to a sad one when she realized she'd misspelled it. Canadians have been a strong presence at the competition for many years and have had several close calls, with Nate Gartke of Alberta also finishing second in 2007.
"I was proud, happy and felt this was a privilege" to represent Canada, she said.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Foi escolhido um novo modelo de taxi para NY.  Será um Nissan . Em 100 anos somente 1 carros estrangeiro conseguiu essa façanha .   O engraçado é que ninguém gostou !  Dizem que parece um
um carro para mães que levam filhos para o futebol (soccer) com ar suburbano. A segunda colocada foi um montadora da Turkia que prometeu um fabrica no Brooklyn !  ele vai ter uma série de "modernismos" com teto solar para os turistas, tomadas de energia para celulares e outros cadgets. Além de controle do ar condicionado para os passeiros de trás mas carece de adaptação para deficientes. Isto está provocando uma série de ações na justiça. Tem tb luzes no chão para os atrapalhados que deixam cair coisas no chão dos carros. Parece que a maior preocupação foi com relação a buzina . Além do tom ser mais agradável , as luzes do carro todo vão acender quando o motorista buzinar. Vai facilitar aos policiais multar os motoristas barulhentos. rsrsr

May 3, 2011

City’s Next Taxi: A Nissan Van Short on Looks, Perhaps, but Full of Comforts

The next New York City taxicab will have airplane-style reading lights, passenger air bags, and a so-called low-annoyance horn, engineered to stifle flagrant honkers. The back seat even has more leg room than the old couch-on-wheels Checker cab.
But can a minivan win over New York?
The Nissan NV200, a bulky four-door van that seems more soccer mom than Travis Bickle, will become the all-but-exclusive vehicle of the city’s taxi fleet, the Bloomberg administration said on Tuesday, in the culmination of a contest of several years to redesign a city icon.
The minivan has a traditional, unstylish look, which even Mayor Michael R. Bloomberg conceded resembles a family car. Asked on Tuesday if the car had a suburban feel, the mayor smiled and replied, “That’s probably true.”
But the interior features, designed specifically for New York taxi use, promise comforts geared toward a more urban creature: power outlets to plug in phones and laptops; a transparent roof for city views; exterior lights that warn cyclists and pedestrians about opening doors; and custom climate controls for each seat.
Even honking, that great urban scourge, could be on the way out. Besides the low-intensity horn, the entire cab will be illuminated, outside and in, whenever its horn sounds, the better to help police track down noisy cabbies.
The first batch of the vans — a customized version of the ones now sold in Asia and Europe — is expected to appear by the end of 2013. Cab owners will be required to buy the Nissan vans when their existing vehicles are due for replacement.
By the end of the decade, almost every yellow cab in the city — there are currently about 13,000 — is expected to be a Nissan, the first time a foreign manufacturer has dominated the taxi fleet since the original red French Darracq cabs arrived in 1907.
The city announced its Taxi of Tomorrow competition in 2007 as a way to create a taxi better suited to its passengers. The prize: an exclusive 10-year contract worth an estimated $1 billion in sales.
The Nissan model, which will be built in Mexico and eventually be capable of running on an electric-only engine, beat out contenders from Karsan, a Turkish company that submitted a stylish, high-concept design, and Ford, maker of the fleet’s current mainstay, the macho Crown Victoria, which Ford plans to discontinue this year.
There were grumblings about the city’s selection even before the official announcement. Advocates for the disabled lamented the Nissan’s lack of options for wheelchair users, while supporters of Karsan, which pledged to build its cabs in Brooklyn, said the city had ignored a chance to invest in the local economy.
A spokesman for Mr. Bloomberg said that the holders of medallions for cabs intended for the disabled would still be allowed to buy specially designed cabs fitted for wheelchairs.
In a letter, the public advocate, Bill de Blasio, asked the city comptroller, John C. Liu, to review the taxi competition for potential conflicts of interest. And Micah Z. Kellner, a state assemblyman who co-signed the letter, has filed a complaint with the Justice Department to see whether the city’s choice violated the Americans With Disabilities Act.
“Who knew that the Taxi of Tomorrow was the delivery van of yesterday?” Mr. Kellner wrote in a statement. “Just because you paint a van yellow doesn’t make it a taxi.”
But Mr. Bloomberg, at a news conference on Tuesday announcing the selection, called Nissan’s bid “far and away the best,” and said the city chose the manufacturer that could provide the most reliable vehicle “that meets our city’s very peculiar needs.”
The mayor added that he was skeptical about the feasibility of Karsan’s proposal for a Brooklyn taxi factory. “I don’t think between now and two years from now we could site a new school, much less a new industrial plant,” Mr. Bloomberg said.
The custom version of the Nissan van has not yet been built, but company representatives said they expected to present a prototype in the next few months. The van holds a maximum of four passengers — three in the back and one in the front.
Its seats are coated to resist stains and bacteria, and the floors are equipped with lights to ease the recovery of purses and briefcases on a late-night ride. The charging station includes a regular outlet and two USB ports. Sliding doors will prevent “dooring” of cyclists and passing cars.
The Nissan could be a throwback to the earlier days, when passenger-controlled radios came standard in spacious cabs like the DeSoto Skyview. 
“Until the 1970s, cabs weren’t bad,” said Graham Hodges, a taxi historian and former cabby. “They were good and roomy cars; they would fit five people easily. People didn’t complain about them being nasty and unpleasant.”
The city appears to be aiming for that earlier era. “Cabs today do not inspire the same type of affection and customer loyalty that the Checker did,” David S. Yassky, the chairman of the city’s Taxi and Limousine Commission, said on Tuesday. “The goal in this process was to get us a taxi that people will talk about 20 years from now the way they talk about the Checker today.”
So can a Nissan van attract a similar cult? Mr. Bloomberg, asked about the romance of the taxicab at the news conference, turned to look at an image of the van projected on a large screen.
“Looks romantic to me,” the mayor said, with a “What can you do?” tone, as the room erupted in laughter.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Escrita cursiva

Talvez  seja a crise dos 40 mas a cada dia vejo mais e mais a tecnologia "matando" coisas.
Ontem comentei o fim dos DVDs, locadoras de vídeos, loja de discos, livros impressos e agora  a escrita cursiva (In the United States of America, the name of "cursive" is most commonly used to describe this style of writing. In the United Kingdom and in Ireland, the phrase "joined-up writing", "real writing" or "joint writing" is far more commonly used, while the term "running writing" or just "cursive" is most commonly used in Australia. Cursive is also commonly known as simply "handwriting" in Canada and New Zealand.)
Reportagem do NYTimes observa que com o os emails, computadores,smartphones, estamos esquecendo como escrever em letra cursiva.   Lá nos US  as crianças estando treinando caligrafia até a 3 série quando iam até a 7º antigamente !  O interessante é que lá diferente dos países Latinos eles ensinam as crianças primeiro em letra de forma (Block letters are a form of writing in which the letters are upright, separated, and usually made without serifs.) depois em letra cursiva.  Comentei com um amigo que tem um filho no colégio CAP-Uerj e disse que lá já estão usando este método ! A reportagem mostra que apenas15 % dos estudantes escreveram a redação (essay) do teste SAT (o vestibular deles para o College) em letra cursiva em 2007.  Lembre da minha redação no vestibular. Foi terrível porque já não sabia mais escrever em letra de forma ! Isso em 1985.  Dizem que a escrita cursiva era utilizada porque tirar a caneta tinteiro do papel criava borrões. Além  de permitir um escrita mais rápida e individual.
É tô ficando velho.  Afinal quando entrei na faculdade tinhamos que programar usando cartões perfurados. Cada linha de código era um cartão ! Imagine um programa em Cobol com 1000 linhas. Usava uma caixa de sapato para carregar o programa. rsrs Depois fui estagiar numa firma que usava computadores Apple importados do estados unidos e usavam CPM anterior ao Dos que por sua vez foi precursor do Windows.   Mas essa é outra estória...

Texto da Wikipedia: 
 Cursive (from Latin curro, currere, cucurri, cursum, to run, hasten [1]) is any style of handwriting that is designed for writing notes and letters quickly by hand. In the Arabic, Latin, and Cyrillic writing systems, the letters in a word are connected, making a word one single complex stroke.For centuries, cursive handwriting has been an art. To a growing number of young people, it is a mystery.
In Roman cursive, the letters are not connected. In the research domain of handwriting recognition, this writing style is called "connected italic", to indicate the difference between the phenomenon of italic script and sloppy appearance of individual letters ("cursive") and the phenomenon of connecting strokes between letters, i.e., a letter-to-letter transition without a pen lift ("connected cursive").
The sinuous letters of the cursive alphabet, swirled on countless love letters, credit card slips and banners above elementary school chalk boards are going the way of the quill and inkwell. With computer keyboards and smartphones increasingly occupying young fingers, the gradual death of the fancier ABC’s is revealing some unforeseen challenges.
Might people who write only by printing — in block letters, or perhaps with a sloppy, squiggly signature — be more at risk for forgery? Is the development of a fine motor skill thwarted by an aversion to cursive handwriting? And what happens when young people who are not familiar with cursive have to read historical documents like the Constitution?
Jimmy Bryant, director of Archives and Special Collections at Central Arkansas University, says that a connection to archival material is lost when students turn away from cursive. While teaching last year, Mr. Bryant, on a whim, asked students to raise their hands if they wrote in cursive as a way to communicate. None did.
That cursive-challenged class included Alex Heck, 22, who said she barely remembered how to read or write cursive. Ms. Heck and a cousin leafed through their grandmother’s journal shortly after she died, but could barely read her cursive handwriting.
It was kind of cryptic,” Ms. Heck said. She and the cousin tried to decipher it like one might a code, reading passages back and forth. “I’m not used to reading cursive or writing it myself.”
Students nationwide are still taught cursive, but many school districts are spending far less time teaching it and handwriting in general than they were years ago, said Steve Graham, a professor of education at Vanderbilt University. Most schools start teaching cursive in third grade, Professor Graham said. In the past, most would continue the study until the fifth or sixth grades — and some to the eighth grade — but many districts now teach cursive only in third grade, with fewer lessons.
Schools today, we say we’re preparing our kids for the 21st century,” said Jacqueline DeChiaro, the principal of Van Schaick Elementary School in Cohoes, N.Y., who is debating whether to cut cursive. “Is cursive really a 21st-century skill?”
With schools focused on preparing students for standardized tests, there is often not enough time to teach handwriting, educators said.
If you’re a school or a teacher, you can bet that if kids are being tested on it, that it’s going to receive a priority emphasis in your curriculum,” Professor Graham said.
Sandy Schefkind, a pediatric occupational therapist in Bethesda, Md., and pediatric coordinator for the American Occupational Therapy Association, said that learning cursive helped students hone their fine motor skills.
It’s the dexterity, the fluidity, the right amount of pressure to put with pen and pencil on paper,” Ms. Schefkind said, adding that for some students cursive is easier to learn than printing.
While printing might be legible, the less complex the handwriting, the easier it is to forge, said Heidi H. Harralson, a graphologist in Tucson. Even though handwriting can change — and become sloppier — as a person ages, people who are not learning or practicing it are at a disadvantage, Ms. Harralson said.
I’m seeing an increase in inconstancy in the handwriting and poor form level — sloppy, semi-legible script that’s inconsistent,” she said.
Most everyone has a cursive signature, but even those are getting harder to identify, Ms. Harralson said.
Even people that didn’t learn cursive, they usually have some type of cursive form signature, but it’s not written very well,” she said. “It tends to be more abstract, illegible and simplistic. If they’re writing with block letters it’s easier to forge.”
Sally Bennett, an 18-year-old freshman at Central Arkansas, signs her name in all capital letters and never gave any thought to it until she took the ACT college entrance exam. Students must copy a prompt, with explicit instructions that they do not print. So the classroom of test-takers tried cursive, Ms. Bennett said.
Some people in there couldn’t remember,” she said. “I had to think about it for a minute. It was kind of hard for me to remember.”
An ACT spokesman said he was not familiar with a cursive requirement. A spokeswoman for the SAT — for which only 15 percent of students wrote the essay portion in cursive in 2007 — said students must also copy a paragraph.
Students are instructed not to print the statement,” the spokeswoman, Kathleen Steinberg, said in an e-mail.
Richard S. Christen, a professor of education at the University of Portland in Oregon, said, practically, cursive can easily be replaced with printed handwriting or word processing. But he worries that students will lose an artistic skill.
These kids are losing time where they create beauty every day,” Professor Christen said. “But it’s hard for me to make a practical argument for it. I’m not one who’s mourning it because of that; I’m mourning the beauty, the aesthetics.”

quarta-feira, 27 de abril de 2011


Duas notícias  impensáveis há 10 anos:

A primeira foi a saída anunciada pela Philips do mercado de TV.

A segunda foi que os livros eletrônicos ultrapassaram nos Eua em Fevereiro a venda de livros impressos.

Veja os vídeos num espanhol bem amigável.

Falando em vídeo, vazou a notícia que o Youtube (google) fechou acordo com 3 grandes produtoras de filmes(Sony Pictures Entertainment, Universal Pictures and Warner Brothers).  Pretender aumentar a lista de filmes que poderão ser alugados via You tube.  Depois do fim das lojas de discos . Será o fim das Locadoras de vídeo e do DVD ? 

Realmente o Mundo está mudando rapidamente.
Cada vez mais "Muderno" como dizia o Sarney. rsrs

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Nutricionista lista os dez piores alimentos para o corpo humano

10º lugar: Sorvete. Apesar de existirem versões mais saudáveis que os tradicionais sorvetes industrializados, a nutricionista Michelle Schoffro Cook adverte que esse alimento geralmente possui altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e de saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas – substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso.
9º lugar: Salgadinho de milho.
De acordo com Michelle, desde o surgimento dos alimentos transgênicos, a maior parte do milho que comemos é um “Frankenfood”, ou “comida Frankenstein”. Ela aponta que esse alimento pode causar flutuação dos níveis de açúcar no sangue, levando a mudanças no humor, ganho de peso e irritabilidade, entre outros sintomas. Além disso, a maior parte desses salgadinhos é frita em óleo, que vira ranço e está ligado a processos inflamatórios.

8º lugar: Pizza. A nutricionista Michelle destaca que nem todas as pizzas são ruins para a saúde, mas a maioria das que são vendidas congeladas em supermercados está cheia de condicionadores de massa artificiais e conservantes. Feitas com farinha branca, essas pizzas são absorvidas pelo organismo e transformadas em açúcar puro, causando aumento de peso e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue.

7 º lugar: Batatas fritas. Contêm não apenas gorduras trans, que já foram relacionadas a uma longa lista de doenças, mas também uma das mais potentes substâncias cancerígenas presentes em alimentos: a acrilamida, que é formada quando batatas brancas são aquecidas em altas temperaturas. Além disso, a maioria dos óleos utilizados para fritar as batatas se torna rançosa na presença do oxigênio ou em altas temperaturas, gerando alimentos que podem causar inflamações no corpo.

6 lugar: Salgadinhos de batata. Além de causarem todos os danos das batatas fritas comuns e não trazerem nenhum benefício nutricional, esses salgadinhos contêm níveis mais altos de acrilamida, que também é cancerígena.

5º lugar: Bacon. Segundo a nutricionista, o consumo diário de carnes processadas, como bacon, pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e de diabetes em 19%. Um estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão

4º lugar: Cachorro-quente. Michelle cita um estudo da Universidade do Havaí, também nos EUA, que mostrou que o consumo de cachorros-quentes e outras carnes processadas pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em 67%. Um ingrediente encontrado tanto no cachorro-quente quanto no bacon é o nitrito de sódio, uma substância cancerígena relacionada a doenças como leucemia em crianças e tumores cerebrais em bebês. Outros estudos apontam que a substância pode desencadear câncer colorretal

3º lugar: Donuts (rosquinhas). Entre 35% e 40% da composição dos donuts é de gorduras trans, “o pior tipo de gordura que você pode ingerir”, alerta a nutricionista. Essas substâncias estão relacionadas a doenças cardíacas e cerebrais, além de câncer. Para completar, esses alimentos são repletos de açúcar, condicionadores de massa artificiais e aditivos alimentares, e contêm, em média, 300 calorias cada.

2º lugar: Refrigerante. Michelle conta que, de acordo com uma pesquisa do Dr. Joseph Mercola, uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55 mg de cafeína, além de estar repleta de corantes artificiais e sulfitos. “Somente isso já deveria fazer você repensar seu consumo de refrigerantes”, diz a nutricionista. Além disso, essa bebida é extremamente ácida, sendo necessários 10

 copos de água para neutralizar essa acidez, que pode ser muito perigosa para os rins. Para completar, ela informa que os ossos funcionam como uma reserva de minerais, como o cálcio, que são despejados no sangue para ajudar a neutralizar a acidez causada pelo refrigerante, enfraquecendo os ossos e podendo levar a doenças como osteoporose, obesidade, cáries e doenças cardíacas.

1º lugar: Refrigerante Diet. “É a minha escolha para o pior alimento de todos os tempos”, diz Michelle. Segundo a nutricionista, além de possuir todos os problemas dos refrigerantes tradicionais, as versões diet contêm aspartame, que agora é chamado de AminoSweet. De acordo com uma pesquisa de Lynne Melcombe, essa substância está relacionada a uma lista de doenças, como ataques de ansiedade, compulsão alimentar e por açúcar, defeitos de nascimento, cegueira, tumores cerebrais, dor torácica, depressão, tonturas, epilepsia, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, perda auditiva, palpitações cardíacas, hiperatividade, insônia, dor nas articulações, dificuldade de aprendizagem, TPM, cãibras musculares, problemas reprodutivos e até mesmo a morte

“Os efeitos do aspartame podem ser confundidos com a doença de Alzheimer, síndrome de fadiga crônica, epilepsia, vírus de Epstein-Barr, doença de Huntington, hipotireoidismo, doença de Lou Gehrig, síndrome de Lyme, doença de Ménière, esclerose múltipla, e pós-pólio. É por isso que eu dou ao Refrigerante Diet o prêmio de Pior Alimento de Todos os Tempos”, conclui.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Portugal exporta engenheiros e arquitectos para o Brasil

Faltam 70 mil engenheiros por ano no Brasil. Portugal compete por vagas em civil

Está em Português de Portugal mas dá pra entender. rsrsr
"No Brasil está a chover muito e Portugal fabrica guarda-chuvas." A metáfora serve neste caso para ilustrar a realidade dos dois países e o interesse de cada um. Por ano, formam-se cerca de 30 mil engenheiros no Brasil, mas são precisos mais de cem mil. Portugal quer colmatar a falta de 70 mil profissionais licenciados, particularmente em engenharia civil, e aumentar o número de arquitectos, para trabalharem nas obras e nos projectos do Campeonato do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016. O bastonário dos engenheiros portugueses, Carlos Matias Ramos, revelou  que tem sido contactado por muitas empresas e profissionais portugueses "no sentido de agilizar o processo e encurtar os tempos" de transferência para o Brasil. "Há engenheiros que querem ir trabalhar para empresas brasileiras, outros para sociedades restritas de empresas portuguesas e ainda em parceria."

O presidente do CONFEA, Marcos Túlio de Melo, lembra que as áreas com mais procura e necessidade urgente de know-how envolvem "os sectores estratégicos do petróleo, gás e construção civil". "Com um crescimento de 7% do PIB ao ano, há uma necessidade muito grande de profissionais que o próprio mercado e sistema educativo brasileiro não suportam porque não se prepararam com a devida antecedência", nota.

 O embaixador de Portugal em Brasília tem-se multiplicado em encontros para acelerar o processo de exportação e aumentar o número de protocolos em diferentes áreas.

Em contrapartida, para o Brasil colaborar com este processo, encurtar os tempos e inserir profissionais no mercado, o CONFEA quer um acordo bilateral a médio--longo prazo. "Quando o mercado europeu estava em ascensão, não houve nenhuma flexibilização e tivemos muita resistência. Queremos discutir com as organizações dos dois países, e com o governo, uma abertura de Portugal, e da Europa em geral, quando retomarem o crescimento."

Carlos Matias Ramos, que tem sido uma das vozes mais sonantes em matéria de exportação de engenheiros para o Brasil, teme apenas que Portugal perca grande parte deles. "Não gosto da emigração de engenheiros, porque perdemos todo o investimento que foi feito", aponta. Para o bastonário, a exportação pode privilegiar uma parceria entre os dois países que "mantenha os engenheiros ligados a Portugal".

Além dos engenheiros, o mercado brasileiro começou a atrair arquitectos portugueses. Neste momento são cerca de 200, mas "estamos numa fase inicial", frisa o bastonário dos arquitectos, João Belo Rodeio. O mercado nacional está "estagnado, há falta de encomenda e há um estrangulamento dos arquitectos". Belo Rodeio explica ao i que os "eventos desportivos dos próximos anos" são o principal motivo de interesse.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Café com Cerveja

Café da manhã reforçado não ajuda na dieta !

A conclusão é de um estudo alemão.
Um estudo do Centro de Medicina Nutricional de Munique, na Alemanha, derrubou o mito de que um café da manhã reforçado ajuda a emagrecer.

Os pesquisadores analisaram o que 380 pessoas comiam ao acordar. Os que comeram grandes quantidades de comida no café da manhã- no caso uma refeição de 400 calorias- acabou ganhando essas calorias no fim do dia.

Os médicos ressaltam que o fundamental ao acordar é ter uma alimentação rica em frutas, grãos e carboidratos, no caso, pão integral, e manter o metabolismo acelerado, fazendo lanchinhos rápidos e saudáveis de três em três horas. Esse hábito ajudará o corpo a queimar mais calorias.

Por Carolina Abranches.

Estudo libera a ingestão de meio litro de cerveja por dia
Pesquisadores garantem que nesta quantidade a bebida não causa barriga
Uma pesquisa chegou para tranquilizar os apaixonados por cerveja. De acordo com o estudo do Colégio Oficial de Médicos de Astúrias, o consumo moderado da bebida não engorda e não cria a famosa barriguinha de chope.

Segundo os cientistas envolvidos com a pesquisa, é liberado o consumo de até meio litro diário de cerveja, desde que associado a uma dieta mediterrânea. A dieta é caracterizada pela abundância de pão, massas, verduras, saladas, legumes, frutas, azeite de oliva, aves e pouca quantidade de carne vermelha.

O estudo demonstra que a cerveja bebida com moderação não provoca aumento da massa corporal nem acúmulo de gordura na cintura. Os médicos recomendam uma dose diária de dois copos para as mulheres e de três para os homens, desde que eles sigam uma dieta equilibrada e pratiquem exercícios.

Por Carolina Abranches.
Não se anime dá aproximadamente menos que duas latinhas daquelas pequenas de 267 ml, o que é razoável como cota diária mas impossível num sábado a noite... 
Na verdade o que tem diminuído o consumo é o bafomêtro. Aqui no Rio está mudando a rotina das pessoas, realmente está fazendo efeito. Agora só falto o Mineiro/Carioca Aécio Neves, que não saí do Rio,  contratar um motorista. Dinheiro ele tem.
 Depois falam do Adriano ! 

sexta-feira, 15 de abril de 2011


Abaixo a "figura" do mascote da próxima Copa América .
Tomara que nosso mascote seja a arara simpática do desenho Rio ou o Zé Carioca.
Será que a Argentina não tinha um bicho mais bonito ! hahah

Suri, o mascote oficial da Copa América, foi
apresentado nesta sexta-feira, em La Plata
(Foto: Leandro Canônico/GLOBOESPORTE.COM)

Armas .

Incrível ! no Estado do Arizona o governador vai decidir se assina ou não uma lei permitindo que estudantes portem armas em universidades e faculdades !
A defesa é que os estudantes estarão mais capacitados a se defender de "mass killers" como o que ocorreu aqui  no Brasil em Realengo.
Parece que a conspiração por trás da lei vem de lobbystas (Gun rights advocates ) que tem como objetivo remover o estigma do uso de armas .
Usam como exemplo
a crescente "visibilidade" de casais de gays em público que levou a muitos Americanos a achar que homossexualismo não é errado. Eles apostam que o mesmo vai acontecer com as armas . O Editorial termina com pergunta abaixo: "Existe  melhor lugar para influenciar a posições das pessoas perante as armas do que  as instituições responsáveis por ensinar nossos mais preciosos valores e ideias ?
What better place to affect people’s attitudes about guns than the very institutions responsible for teaching our most cherished values and ideals?

Op-Ed Contributor - NYTimesThe Guns of AcademeBy ADAM WINKLER -Published: April 14, 2011
BY Monday, Gov. Jan Brewer of Arizona must decide whether to sign a bill partly lifting her state’s ban on guns on college and university campuses. Gun advocates insist that will make campuses safer by discouraging mass killers and giving students the ability to fight back. Gun control proponents warn the law will lead to more lethal violence.
Both sides are probably wrong. Gun violence at colleges and universities — there are fewer than 20 homicides on campus per year — will probably not be affected much, one way or another. What is really at stake is America’s gun culture.
Colleges and universities have long been gun-free zones. In 1745, Yale adopted a policy punishing any student who "shall keep a gun or pistol, or fire one in the college-yard or college." Today, most universities, public and private, prohibit anyone but authorized security and law enforcement officers from bringing guns onto campuses. Arizona would join Utah as the only states to require public colleges to permit guns on campus, but Texas and eight other states are considering similar laws.
Many find the idea of students with guns shocking. They fear that undergraduates are too young to handle firearms responsibly and that the presence of guns will lead to the deadly escalation of minor disagreements. Others worry about the volatile mix of guns and alcohol. Glocks don’t belong at a frat party.
Even if the bans are lifted, however, few students will tote guns around the quad. Under federal law, those under 21 cannot buy guns from a dealer. And most states require a permit to carry a concealed weapon. (Arizona only requires such a permit for persons under 21.)
As a professor, I’d feel safer if guns were not permitted on campus. I worry more about being the target of a student upset about failing grades than about a mass killer roaming the hallways.
But there is little evidence to support my gut feeling. Utah, for example, has not seen an increase in campus gun violence since it changed its law in 2006. And a disturbed student can simply sneak a gun on campus in his backpack, as the Virginia Tech killer did in 2007. Indeed, lost in the debate is the fact that guns, being easy to conceal, are almost certainly on campus already.
On the other hand, gun rights advocates are too quick to assume that laws allowing guns on campus will discourage mass murderers. Arizona has among the most liberal gun-carrying laws in the nation, but that didn’t prevent Jared L. Loughner from shooting Representative Gabrielle Giffords and killing six other people in Tucson in January. Nor did permissive carry laws lead to people defending themselves by shooting back. (Mr. Loughner was tackled and brought to the ground by unarmed bystanders.)
Even if a student with a gun can use it to defend against a mass murderer, it’s hardly clear that anyone, including the armed student, is made safer. Policemen or other students with guns might not be able to differentiate among gunmen, putting the person defending herself at risk of being shot by mistake. Even well-trained gun owners suffer enormous mental stress in a shootout, making hitting a target extremely difficult.
Gun control groups are fighting to retain the bans. This is one of the few areas in which they’ve had success in recent years. There have been more than 40 attempts to lift the bans in 24 states, and nearly all have failed. Even the proposed Arizona law was a victory of sorts, as the final bill omitted provisions allowing guns in classrooms; it would permit guns only on campus streets and sidewalks.
Yet gun rights proponents are redoubling their repeal efforts. They aren’t reacting to a wave of violence on campus. The true motivation is to remove the stigma attached to guns. Many in the gun rights movement believe there should be no gun-free zones and seek to make the public possession of firearms a matter of course. The protesters who last year carried guns into Starbucks shops and Tea Party rallies had the same goal. They weren’t expecting to defend themselves; they were aiming to build broader public acceptance of guns.
Exposure can breed tolerance. Arguably, that is exactly what’s behind the growing acceptance of gays and lesbians. The visibility of gay couples in society and popular culture has led many Americans to realize that homosexuality is not wrong. Gun advocates are betting the same can happen with firearms.
The strategy, however, is risky. Teenagers might begin to see carrying a gun as a mark of adulthood, like smoking and drinking. Without the maturity of age, they might turn to violence too quickly.
Gun rights advocates are willing to take these risks because colleges are where the next generation of America’s leaders will be produced. What better place to affect people’s attitudes about guns than the very institutions responsible for teaching our most cherished values and ideals?
Adam Winkler, a professor of law at the University of California, Los Angeles, is the author of the forthcoming "Gunfight: The Battle Over the Right to Bear Arms in America."
A version of this op-ed appeared in print on April 15, 2011, on page A27 of the New York edition.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Gerald A. Lawson

Pioneiros que não ficaram famosos!

Gerald foi o inventor do cartucho de jogos. Antes deles os vídeo games vinha com os "jogos" na memória do console. Também inventou a máquina de vídeogame "coin-operated" que aceitava moedas ! Para os antigos, máquina de "fliperama" que para refrescar a memória eram proibidos para menores de 18 anos. Ainda lembro da minha infância quando passava férias em "copacabana" e ficava olhando da calçada os jogadores de "fliperamas". Hoje vc baixa um jogo onde o vencedor é quem mata mais pessoas ou rouba mais carros.
Ele fala sobre isso no final da reportagem   : " Eu não jogo vídeo games frequentemente. Eles me assustam . A maioria envolve atirar ou matar alguém.!

“I don’t play video games that often; I really don’t,” he said in the 2009 interview. “First of all, most of the games that are out now — I’m appalled by them.” Most are concerned with “shooting somebody and killing somebody,” he said.

Ele só cometeu um "erro fatal" perdeu a oportunidade de contratar Steve Wozniak  que com Steve Jobs fundou a Apple e projetou o primeiro Micro da empresa.

Gerald A. Lawson, a largely self-taught engineer who became a pioneer in electronic video entertainment, creating the first home video game system with interchangeable game cartridges, died on Saturday in Mountain View, Calif. He was 70 and lived in Santa Clara, Calif.
Maria J. Avila Lopez/Mercury News
“To me, a game should be something like a skill you should develop — if you play this game, you walk away with something of value.”

Tube !

Veja a reportagem do site  Curiosidades hilárias como a falta de mensagens  em Inglês no metrô de Paris e cachorros na Russia.... 
Aqui no Rio poderiam imitar o de Estocolmo na Suécia, onde as estações são verdadeiros museus de Arte Moderna.  A Estação Estácio é enorme e ficou vazia depois que inauguraram a estação Cidade Nova.  Até as lojas fecharam.  A estação da carioca é enorme tb e abriga uma faculdade.
Por falar em lojas, será que o metrô contabiliza em suas planilhas de custo para o cálculo das passagem as propagandas e aluguéis ?!  Dizem que os ônibus não incluem as propagandas nas suas.
Quando houve a concessão pensaram nisso ?!
As estações mais novas como de Copa e Ipanema são bem mais modestas no tamanho , verdadeiros tubos como é chamado o metrô de Londres  (in London it is called the 'tube' or the 'underground'").
Pensando nisso o Adoro Viagem selecionou os metrôs mais legais do mundo que valem a pena serem incluídos como transporte no seu roteiro de viagem.
5º Lugar: O metrô de Munique - Alemanha
Diferentemente de filmes trash como Plataforma do Medo, o metrô da cidade alemã impressiona e surpreende a cada estação. Todas são absolutamente limpas, sem lixo sem pixações e sem qualquer fluído que um ser humano desagradável poderia deixar. Enquanto algumas estações são ultramodernas com um teto espelhado, outras são antigas e parecem que foram conservadas desde os anos 30.
Em seis linhas, estão 93 estações com 91km no total e é possível conhecer bem a cidade. Se for ficar por um tempo razoável uma boa ideia é pedir o "tíquete de um dia" que custa cerca de 5,40 Euros (R$12,30) e vale por 24 horas ou então o "cartão de city tour" que além das passagens, dá desconto em um monte de atrações turísticas, e custa a partir de 9,90 Euros (R$22,50).
4º Lugar: O metrô de Paris - França
Inegavelmente a língua que os turistas se sentem mais a vontade fora do seu país é o inglês, e o metrô de Paris apesar de não ter as informações em inglês, é muito tranquilo de usar. Se por um lado você sente aquele cheiro do tradicional mendigo francês com uma garrafa de vinho na mão, do outro você sente o aroma dos perfumes mais caros do mundo, esse é o metrô francês!
Como tudo na cidade, o segundo metrô mais antigo do mundo é puro charme!
O carnê com 10 bilhetes custa 11,60 Euros (R$ 26,40). Tem muitos fiscais por lá, então seja civilizado e valide seu bilhete!
3º Lugar: O metrô de Moscou - Rússia
Um metrô muito bonito e com uma arquitetura clássica digna de um czar (que jamais andaria de metrô).
Uma coisa curiosa é que além das pessoas, muitos cachorros andam pelo transporte subterrâneo da cidade. A evolução do ato de passear se dá provavelmente porque estão atrás de comida, mas eles simplesmente entram e saem nas estações que bem desejam.


Para ver pessoalmente a passagem custa cerca de 15 Rublos (R$1,20).
2º Lugar: O metrô de Pequim - China
Com as olimpíadas, o governo deu uma bela modernizada no seu sistema de metrô que hoje conta com mapas de tela touch-screen, TVs de LCD, um ótimo sinal para celulares e o mais importante, o anúncio das estações é bilíngue.
Um paraíso da tecnologia para você se sentir em uma sociedade a la Minority Report (cuidado com os olhos!)
As passagens custam cerca de 2 yuans (R$0,50).
1º Lugar: O metrô de Estocolmo - Suécia
Com um ambiente todo psicodélico, quase todas as estações de metrô da capital sueca contam com obras de arte de artistas renomados.
E ainda dá para se divertir com a escada piano:
Pelo preço de um simples tíquete você já conhece um grande museu alternativo além de se locomover (aliás o preço é 24 Coroas, ou 6 reais aproximadamente por passagem).

quarta-feira, 13 de abril de 2011


"Consigo pilotar meu barco ao sabor dos ventos, mas sei que há muito mar pela frente.
Talvez nunca chegue ao porto.
Tomara mesmo que não, pois o melhor da viagem é estar nela".

Dias Gomes

terça-feira, 12 de abril de 2011

Jetta is unimpressive !

Segundo a reportagem do USAToday, a avaliação do novo carro da VW Jetta foi péssima. Ele está sendo lançado no Brasil tb. Imagine se eles testassem o Voyage ou o Gol. rsrsrs

O Chevrolet Cobalt que será lançado no Brasil no lugar do Astra é chamado de "crude" mas seu substituto o Cruze que vai substituir aqui as versões mais caras no Vectra foi elogiado.

Surpreza foi o Elantra que ainda será lançado no Brasil , ficou em primeiro com méritos e ainda foi o único que foi listado como "recommended" !

The Volkswagen Jetta is the worst among 11 compact cars tested, Consumer Reports says.
The closely watched, influential magazine rips into the Jetta for lack of agility, cornering, engine smoothness, efficient braking, interior fit and finish, and only "so-so" fuel economy.
"The new Jetta is unimpressive," said David Champion, senior director of Consumer Reports' Auto Test Center. "In an effort to bring the car's starting price down, VW cheapened the previous Jetta's interior and suspension, making it less sophisticated and compromising handling." The new Jetta was aimed at the youth market. Singer Perry introduced it at a splashy event in New York's Times Square last summer.
In terms of most improved, CR credits the new Chevrolet Cruze as a light year ahead of the previous compact, the "crude" Chevrolet Cobalt. Cruze is now solidly in the middle of the pack of 11 small sedans. CR also heaps praise on the latest generation Hyundai Elantra.
In fact, the Elantra is now considered best of the bunch. The Elantra is the only vehicle in the test group that is listed as "recommended." Prices for the small sedans tested in this group ranged from $18,375 for the Cruze LS to $20,530 for the Cruze LT.

segunda-feira, 11 de abril de 2011


Os motoristas europeus desperdiçam anualmente cerca de 2,8 bilhões de euros, apenas por andarem com os pneus descalibrados. A constatação é resultado de uma pesquisa feita pela Bridgestone, que checou as condições dos pneus em 38 mil carros de nove diferentes países.
Andar com a pressão abaixo da recomendada leva a um desperdício de dois bilhões de toneladas de combustível e também prejudica a qualidade do ar: os ambientalistas calculam que o descuido despeja 4,8 milhões de toneladas adicionais de gás carbônico na atmosfera.
A Bridgestone revelou que os testes realizados mostram que 7,5% dos carros tinham pneus com pressão perigosamente baixa e 0,5% já estavam na faixa considerada crítica.
Quase 12% dos pneus verificados estavam apresentavam gasto além do mínimo de 1,6 mm de altura na banda de rodagem e 2% estavam ao mesmo tempo gastos em demasia e com pressão baixa.
Baixa pressão, alto consumo - Segundo a fabricante de pneus, muitos motoristas não têm noção de que os pneus perdem pressão naturalmente ao longo do tempo e que andar com pneus pouco inflados, além de perigoso aumenta consideravelmente o consumo e as emissões de CO2.
A pressão dos pneus influencia fortemente a resistência ao rolamento dos veículos, um fator chave no consumo de combustível. Dependendo do tipo de piso e modo de dirigir, a resistência ao rolamento consome entre 18% e 26% da força do motor, influenciando diretamente na eficiência e emissões do carro. Andar com pneus abaixo da pressão e simultaneamente gastos além do limite é duplamente perigoso. Além disso, a baixa pressão também leva a um gasto maior da banda de rodagem, reduzindo a durabilidade dos pneus.

fonte uol

Como surgiram as Peruas....

Pra quem quer saber como surgiram as "peruas" ,como dizem os Paulista, veja o link abaixo.
É um desenho muito legal.
No Brasil elas estão perdendo mercado a cada mês. A participação das stationswagons (como dizem os Americanos) no  mercado nacional de veículos de passeio é de apenas 2,69% do total de emplacamentos. Monovolumes do tipo Fiat Ideia e Chevrolet Meriva respondem por uma fatia de 5,86%, mas o fato é que essa carroceria é apenas cúmplice na derrocada das peruas. Vilões mesmo são os SUVs e crossovers, donos de 22% das vendas de veículos leves no Brasil e hoje tidos como padrão de "carro de família" por um consumidor emergente e deslumbrado pela crescente oferta de modelos.  Puxa em plena crise do Petróleo e do aquecimento global os Brasileiros descobriram os carrões !  Quase 2 toneladas pra levar um adulto de 80 Kg. Isto é que é um transporte ineficiente !

Nos U.S., segundo reportagem que li, ainda são  muito usadas por suburbanos mas as fábricas estão tentando torná-las mais "charmosas" ou esportivas e menos familiares. rsrs
Quem já tentou colocar um criança na cadeirinha do banco de trás de um carro sabe da utilidade.

A narração é em inglês, mas os desenhos são auto explicativos: esse vídeo oficial da Opel, braço alemão da General Motors, conta de forma bem-humorada como os automóveis deram origem a furgões de carga e, mais tarde, a peruas tão confortáveis e eficientes quanto um sedã .

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Microsoft e Toyota

Puxa ! Depois dos carros que aceleravam "sozinhos", crise econômica de 2009 e  o Terremoto a Toyota anuncia acordo com a Microsoft. "Danou-se" : Os carros virão com um botão de boot pra quando travarem, ficarão lentos sem motivo e a mais temida mensagem vai aparecer no painel :
"Erro Fatal" !

Carsale - A partir do ano que vem alguns modelos da Toyota virão equipados com a primeira geração de sistemas de telemática desenvolvidos pela Microsoft. É o que prevê um acordo firmado entre as duas empresas e que teve seus principais termos divulgados nesta quarta-feira (6). Os novos equipamentos de telemática, que é termo usado para a tecnologia que engloba em uma mesma plataforma dispositivos de telecomunicações e informações sobre o veículo (navegação por GPS, gestão de energia e multimídia de entretenimento), equiparão modelos elétricos e híbridos da marca japonesa.

A plataforma, denominada Windows Azure, será desenvolvida por meio de uma parceria entre a Toyota Media Service, uma das subsidiárias do Grupo Toyota, e a gigante de tecnologia norte-americana. O investimento no projeto foi de US$ 12 milhões. Um dos objetivos da Toyota é estabelecer, até 2015, uma plataforma global sob o conceito de computação em nuvem, em que a capacidade de armazenamento de servidores e computadores conectados à internet é compartilhada para processar e guardar dados. Este projeto permitirá que clientes da Toyota acessem serviços e informações em diferentes partes do mundo.

Comprar um carro ou ir de táxi?

Comprar um carro ou ir de táxi? Esta é uma pergunta que pouca gente se faz antes de entrar em uma loja de automóveis. Segundo levantamento feito pelo Centro de Estudos de Finanças Pessoais e Negócios (Cefipe), quem prefere circular de táxi pela cidade pode economizar mais de R$ 1 mil por mês em relação àquele que tira da garagem o carro próprio para se deslocar. Especialmente em uma metrópole com 7 milhões de veículos e vários problemas de trânsito como São Paulo.  
O levantamento realizado pelo Cefipe considerou todos os custos que incidem sobre um carro de R$ 40 mil, desde taxas e impostos, como licenciamento e IPVA, até os gastos com manutenção e seguro, passando pelas despesas do dia a dia - combustível, lavagem e troca de óleo, entre outras.

De acordo com o Cefipe, há custos que geralmente não são levados em consideração por aqueles que elaboram uma conta rápida, de cabeça, antes de se decidir pelo carro próprio. A depreciação, por exemplo, é um deles. Dependendo do modelo ou do ano, um carro chega a perder 1% de seu valor por mês – neste caso, R$ 400.
(No Rio foi de 18% em média nos dois últimos anos .)

Outro cálculo que passa longe da cabeça do candidato a um carro é o que considera a oportunidade de ganho desperdiçada se o mesmo dinheiro, em vez de empregado para comprar o automóvel, fosse investido em uma aplicação financeira. Na caderneta de poupança, a mais conservadora do mercado, R$ 40 mil devolveriam R$ 265 mensais.

Além dos R$ 665 até aqui contabilizados, o cidadão que optasse pelo táxi no lugar do carro próprio ficaria livre de multas, zona azul, estacionamentos e, no caso de uma batida no trânsito, ter de pagar a franquia do seguro. No total, segundo o levantamento, o custo mensal com carro próprio chega a R$ 1.900. Com corridas de táxi a despesa seria de aproximadamente R$ 1 mil - economia de R$ 900.

Existem outros aspectos que contam a favor do táxi em relação ao carro próprio, como a possibilidade de não precisar se preocupar com o trânsito, não perder tempo em busca de vaga para estacionar e poder falar ao celular sem receio.
O analista de sistemas Marco Aurélio Vasconcelos Brandi, 48, desfez-se do segundo carro da família e garante não ter se arrependido da decisão. Há cinco anos as chaves do único automóvel da casa ficam com sua mulher, Leila, que faz uso do carro para levar e buscar os filhos na escola, fazer compras de supermercado etc.
"Dirijo mais nos fins de semana", disse Brandi. "De segunda a sexta chamo um táxi quando preciso ou, muito de vez em quando, pego carona com a Leila."  
O estudo da Cefipe foi realizado há três anos, com o objetivo de mostrar que na maior parte das vezes ter um segundo carro na garagem não é vantajoso para as famílias se deslocarem em centros urbanos como São Paulo. Atualizados pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor – Amplo), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) , os valores devem receber acréscimo de 15%.

A próxima pesquisa vai ser :

"Alugar uma mulher ou casar ! "
Aguardem !

Amarela de neve ou Snow-yellow

fonte UOL.
Só falta trocar o nome da Branca de neve pra Amarela de neve !

A próxima vai ser no Brasil ?!

veja as fotos (muito engraçado) :

Xangai (China), 8 abr (EFE).- Após quase uma década de negociações para tirar o projeto do papel, começaram nesta sexta-feira as obras de construção da Disney de Xangai, que contará com o mais alto castelo entre todos os parques da companhia no mundo, anunciou a imprensa local.

A informação foi dada pelo presidente-executivo da Disney, Robert Iger, que liderou a cerimônia de colocação da primeira pedra, em cerimônia que contou com a presença de Yu Zhengsheng, secretário-geral do Comitê Municipal do Partido Comunista da China (PCCh) em Xangai, a máxima autoridade política local.

O sexto parque da Disney no mundo, e o terceiro na Ásia, depois dos empreendimentos de Tóquio e Hong Kong, será o menor de todos e espera abrir suas portas em 2015.

A China calcula que a Disneylândia Xangai atrairá cerca de 7,3 milhões de turistas por ano partir de 2015.

O projeto abrange sete quilômetros quadrados, dos quais em uma primeira fase serão construídos 3,9 quilômetros quadrados para 2015 (1,16 quilômetro de parque e o restante para estacionamentos, restaurantes e hotéis), e contará com acesso a duas linhas do metrô local.

Essa primeira fase receberá investimento de 24,5 bilhões de iuanes (US$ 3,73 bilhões), e contará também com um lago artificial de 400 metros quadrados.

Quando for inaugurado em 2015, o parque contará com dois hotéis temáticos, uma ampla zona comercial e de restauração, instalações de lazer e estacionamentos, além de um rio artificial de 10 quilômetros de comprimento.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Car VS Carro

Quando se vê a reportagem do Usatoday é impossível não comparar com o mercado Brasileiro .

Primeiro é o preço da gasolina nos U.S.  o equivalente a R$ 1,40 aqui !  Isso depois do recente aumento.  Aqui é R$ 2,70  em média.

 O gasto médio do americano com gasolina por ano é de U$ 28.000,00 dollares por ano ! O que representa quase R$ 3700,00 por mês !

O preço do Ford lá de R$ 27000,00 reais  !  Aqui é de R$ 59.000,00 um versão anterior e sem os acessórios. Com esse valor de 270000,00 aqui só conseguimos comprar um Uno Mille sem Abs / Airbag / Radio , Arcondicionado, direção Hidráulica, etc

Será somente imposto ? Na Argentina o mesmo carro é bem mais barato!

E as vendas estão batendo records . Talvez seja essa a explicação...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Tablets e Smartphones

Tablets e Smartphones (definição A smartphone is a mobile phone that offers more advanced computing ability and connectivity than a contemporary feature phone.)
Hoje dois assuntos dominam os noticiários eletrônicos:

Os primeiros tem um mercado limitado mas estão crescendo num ritmo frenético.
A primeira vítima foi o Netbook que apesar de boas vendas está diminuindo a vantagem e certamente será ultrapassado pelo Tablet.
Os especialistas não sabem se este é mais um fenômeno Apple (iPad)ou de toda um industria. 
Os concorrentes acordaram e resolveram lançar seus aparelhos (Sansung Galaxy, Motorola Xoom, etc..).
Teremos que esperar pra saber se irão vender tão bem quanto a Apple que acaba de lançar a nova versão do iPad.

Quem já tentou usar um netbook em um ônibus ou no sofá sabe que seria muito melhor um tablet...

A Apple tem como grande diferencial sua loja virtual chamada iIunes que além de vender música  vende tb os programinhas chamados apps.
Essas Apps são baratas começando em 0,99 ou grátis . Existem centenas de milhares.  Segundo um especialista depois da marca de 1.000 os programas se repetem e com este número já é possível atender aos usuários. 

A Google que não é boba aproveitou o sistema operacional para Smartphones Android e contra atacou. 
Alterou o Android para rodar em Tablets na famosa versão 3.0.
As outras versões rodam em smartphones e alcaçaram um enorme sucesso, pois rodam em quase todas as marcas e operadoras de telefonia.
Até a Amazon entrou na guerra e lançou uma loja virtual para vender apps para o Android. Android App Store para competir com a official Android Market da Google.

Legal são os nomes das versões do Android que lembram doces (desserts) e em ordem alfabética :

1.5 = Cupcake
1.6 = Donut
2.0 & 2.1 = Eclair
2.2 = Froyo
2.3 (& maybe 2.4) = Gingerbread
3.0 (tablets, supposedly no phones) = Honeycomb

O iTtunes foi uma grande "insight" da Apple. Ela viu que os principais problemas do windows eram : programas mal feitos que travavam o computador. Então para entrar na loja, a app deve ser testada e aprovada pela Apple e com isso é mantém o monopólio de vendas e enche os bolsos de dinheiro.

Se vc usar Windows e instalar somente programas Microsoft , duvido que seu computador trave.

Dizem que as filas na porta da apple antes de cada lançamento é estratégia de Marketing , menos produtos no início e filas maiores.
Vai dizer que nunca entrou numa loja cheia só por curiosidade.
Os smartphones são um capítulo a parte e já provocando a mudanças na própria internet.  As apps são muito melhores que os sites .
Leia mais no post de Março "Fim da Internet" no TapasNews.

A Microsoft com sempre chegou atrasada mas como o elefante que não corre mas a cada passo anda dois metros...fez um acordo com a Nokia que andava mal das pernas. A nokia vai usar o windows mobile nos seus smartphones.

Atualmente, o BlackBerry OS é o líder entre os sistemas operacionais para smartphones, seguido pelo Android, do Google, e pelo iOS, da Apple.
A Microsoft está em quarto lugar, mas com uma participação de mercado anos-luz atrás do iOS.

Quem viver Verá.


Que perigo heim.
Se os efeitos persistem por mais 40 meses , será que a queda tb ? Isso a reportagem não fala.

O negócio é seguir a marchinha de Carnaval. "É dos carecas que elas gostam mais ! " rsrs

Droga para calvície provoca disfunção sexual prolongada

Estudo mostra que medicamento pode causar impotência e perda da libido muito tempo depois da interrupção do uso

Pesquisa contraria bula de remédio, que menciona esses efeitos, mas diz que somem com a descontinuidade


A finasterida, droga mais usada contra a calvície, pode reduzir a libido e causar impotência mesmo após a suspensão do uso, segundo estudo da Universidade George Washington, nos EUA.
A pesquisa avaliou 71 homens entre 21 e 46 anos que se queixavam das reações. Segundo os autores do trabalho, publicado no "Journal of Sexual Medicine", os efeitos colaterais persistiam por 40 meses após a interrupção do tratamento, em média.
Foram observados impotência e perda da libido até seis anos após o uso, em um quinto dos pesquisados.
Para o endocrinologista Michael Irwig, um dos autores, os homens devem estar cientes do risco. "O estudo deve mudar a forma como médicos conversam com pacientes sobre a medicação."
No Brasil, assim como nos EUA, a bula da finasterida menciona a diminuição da libido e a impotência como efeitos colaterais, mas afirma: "Esses efeitos desapareceram nos homens que descontinuaram a terapia e em muitos que mantiveram".
A Merck Sharp & Dohme, que produz o remédio Propecia, à base de finasterida, contesta a metodologia do estudo (leia nesta página).
A finasterida bloqueia a ação da enzima 5-alfa-redutase, que transforma o hormônio testosterona em DHT (dihidrotestosterona).
Em homens com folículos capilares mais sensíveis à ação da DHT, os fios de cabelo ficam mais finos e caem.
A dihidrotestosterona também atua na estimulação sexual. Ao inibir a produção desse hormônio, a droga pode interferir nessas funções.

SINAL AMARELOSegundo o cirurgião plástico Marcelo Pitchon, especializado em implantes capilares, a pesquisa lança um "sinal amarelo" no tratamento da calvície. "Sempre se considerou que as funções sexuais voltavam ao normal depois de interrompido o tratamento", diz. "Agora, precisamos revisar o estudo."
Elaine Costa, endocrinologista do Hospital das Clínicas de São Paulo, não estranha os efeitos colaterais prolongados. "Bloqueando um hormônio, pode ser que ele demore a voltar ao normal."
Costa diz que os resultados reforçam a necessidade de analisar o custo-benefício do tratamento. "Cabe discutir se vale retardar a queda e perder um pouco da libido."
Segundo Jackeline Mota, que coordena a área de cabelos da Sociedade Brasileira de Dermatologia, finasterida é uma boa medicação para a calvície. "Mas, se o médico percebe que o paciente tem disfunção, melhor não usar."

terça-feira, 5 de abril de 2011


Uma pesquisa realizada pela seguradora britânica Swinton mostra que 83% dos homens ignoram as orientações dos aparelhos de GPS (sigla para Sistema de Posicionamento Global). Segundo o levantamento realizado, 63% das mulheres não dão ouvidos aos caminhos propostos pelo equipamento.

Juntando ambos os sexos, o total de motoristas que não ouvem o GPS é de 79%. Dois motivos foram apontados pelos entrevistados como as principais razões para deixar o aparelho de lado na hora de decidir o caminho: 50% afirmaram que os caminhos indicados causaram brigas entre passageiros e motoristas e 33% disseram que o equipamento aponta caminhos mais longos e demorados.
fonte : uol

Os mais afoitos  podem concuir que as mulheres recebem mais ordens que os homens mas acho que na verdade os homens são mais teimosos mesmo ! rsrs

Poderiam avisar no manual "GPS pode aumentar o risco de divórcios".

Compre um com tv digital, ele pode ser muito útil quando o trânsito estiver parado, principalmente em São Paulo!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

"Smelling the Books"

Pensava que só eu tinha esta mania !

Não é só a presidente Dilma que adora dar uma cafungadinha nos livros, como ela contou durante programa de Ana Maria Braga. Enquete realizada pela Livraria da Folha mostra que 82% dos participantes costumam cheirar suas obras. Foram registrados 273 votos.
Esse aspecto do hábito de leitura é pertinente em um momento em que os livros eletrônicos ganham espaço no mercado editorial. Para alguns críticos da nova tecnologia, devorar uma obra na tela é como "transar com uma boneca inflável", ou seja, é uma experiência fria, impessoal, que exclui o prazer do tato e de outros sentidos como o olfato.
O cheiro dos livros virou até alvo de performances. Nos EUA, Rachael Morrison, uma funcionária do MoMA (Museu de Arte Moderna de Nova York), lançou uma performance chamada "Smelling the Books" ("Cheirando os Livros"), em que ela pretende descrever o odor de cada volume da coleção da biblioteca.


Carro velho !

Mudanças previstas no mercado automobilístico Brasileiro. Geralmente os carros estão recebendo maquiagens a cada 3 anos. Quando recebem o nome de 'novo'. A maior mudança será na Chevrolet.
Realmente era uma bagunça sua linha de carros. Refletindo a quase falência da matriz que tb nos EUA mantinha uma linhas com grandes pickups na crise 2009. Com chegada dos Coreanos, Japoneses e Franceses ela teve que mudar. O Mercado continua defasado em relação as Matrizes do exterior. A VW mantém Golf e Polos aqui atrasados em 3 gerações ! Por isso perdeu o posto de primeiro lugar para a Fiat.  A geração mais jovem de compradores já esqueceu ou nem conheceu o Fiat 147.


Celta/Prisma : Duram pelo menos até 2014 quando devem chega o Ônix, compacto baseado no Agila.

Classic : Dura mais 3 anos ou até parar de vender bem.

Corsa: Sairá de linha em 2012. A versão sedã será substituida pelo Cobalt.
          A versão hatch por um Ágile mais barato.

Astra : Vai até o final desse ano(2011).

Vectra: Saíra de linha em Agosto. Versão sedã só para frotistas e na versão básica. O Hatch Vectra GT será substituido pelo  Cruze, assim como o Sedã.

Meriva: Vai receber maquiagem em 2012. Frente e lateral mudam.

Zafira. Sairá de linha em 2012. A nova Meriva terá um modelo com Porta malas maior pra substitui-la.

Montana. Vida longa. Garantida por 3 anos ou mais...

S10: Só vai ficar a versão mais barata. Ano que vem chega versão nova.

Blazer . Saí de linha em 2012.


Gol e Voyage: Maquiagem. Nova frente parecida com o Fox. Muda até o final do ano.


Palio, Siena:  Mudança total . Palio no meio do ano e Siena no final. Modelos antigos continuam em versões mais baratas por mais uns 2 ou 3 anos.


Quando as 400 famílias mais ricas detêm metade das riquezas de um país algo está errado !

Esse país é os EUA !

Essa 400 famílias detêm tanto quanto as outras 155 milhões de famílias somadas!

Este é o  "capetalismo", como dizia O Profeta Gentileza.

sexta-feira, 1 de abril de 2011


O Site

Ele pronuncia palavras e frases em Inglês .
A diferença é a quantidade de sotaques.
Para o Inglês existem Irlandes, scottish, Australiano, Sul Africano, Indiano...
além dos sotaques diferentes por região e a escolha entre mulher e homem.

Por exemplo na palavra Internet o Norte Americano não consegue pronunciar o "T" mas o Australiano, e outros pronunciam do mesmo jeito que fazemos.

Serve tb pra aprender a pronucnia de pratos italianos, Franceses. Até nomes de times de Futebol Ingleses...  Termos de Informática tb.

No caso do Português o sotaque de Portugal é muito engraçado.  Tente a frase: "Joaquim chamou Manoel para dentro". rsrsrs

Galo da Madrugada

Puxa a Ferrari querendo fazer um carro popular no Brasil !   O mundo está de cabeça pra baixo !
Só falta trocar o Cavalinho rampante pelo galo da madrugada, símbolo do carnaval pernambucano . rsrs

A Ferrari começará a fabricar carros no Brasil a partir de 2014. A decisão foi anunciada na manhã desta sexta-feira em Modena, Itália, sede da empresa, em reunião entre o diretor do recém criado Departamento Estratégico da Ferrari, Adalberto Nasolungo, e representantes da prefeitura de Suape, Pernambuco. A fábrica funcionará, a princípio em regime de CKD (os carros serão montados com peças trazidas da Itália) e ocupará um galpão anexo às instalações da nova fábrica da Fiat no Recife.

Nasolungo não adiantou qual carro inaugurará a primeira linha da marca fora da Itália, mas disse que será um modelo inédito. Um dos integrantes da comitiva pernambucana, contudo, revelou que será um utilitário-esportivo de sete lugares e tração integral. "Haverá duas versões", informou, "uma luxuosa, com motor 12 cilindros, e outra mais simples, com motor seis cilindros em linha." O objetivo é concorrer com os modelos coreanos. Parte da produção será exportada para os Estados Unidos. A fonte também disse que a Ferrari estuda a fabricação de um sedã econômico, equipado com motor quatro cilindros MultiAir, para ser vendido em países emergentes.

Em seu discurso durante a assinatura do contrato entre a Ferrari e a Prefeitura de Suape, Nasolungo disse que a fábrica brasileira inaugura uma nova era para a Ferrari. "Até 2020 teremos linhas de produção na China, Índia e Venezuela", declarou.